sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Amor Infinito

"Os verdadeiros artistas não são somente aqueles que estão em cima do palco, mas também aqueles que se aventuram pela vida." No Colo dos Anjos, Léo Chaves
Foto: Andree_Nery (iStockphoto)
         No Colo dos Anjos (Editora Gente, 317 p.) foi uma grata surpresa descoberta no show de Victor & Leo no Citibank Hall dia oito de dezembro. Pude ver a dupla com meu pai graças à rádio Gazeta FM - e as ligações de meu pai, claro. Ao adentrar o espaço me deparei com um estande do primeiro livro de Leo Chaves. "Puxa! Ele escreveu um livro?! Preciso tê-lo". Estava convicto de que Crônica do Pássaro de Corda seria minha última leitura do ano, abri uma exceção pela curiosidade crescente e, não me arrependi. 
        A narrativa é envolvente. De cara, conhecemos a situação do jovem astro Bruce Vilanova e a cada capítulo vamos conhecendo mais dele enquanto refletimos acerca de nossas próprias escolhas e conceitos. Bruce é um artista no auge que vive um momento delicado de sua carreira e nos depararmos com ele favorece nossa empatia. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, diria Caetano. Martin é um artista renomado que surge para mostrar ao jovem que sempre é tempo de renovação. Através de uma série de treinamentos que o ajudarão a utilizar o poder de sua mente e conhecer melhor a si mesmo, à sós e em sua relação com os outros.
           Para os fãs de Lost, a dinâmica de Bruce e Martin pode ecoar ao episódio sete da primeira temporada em que Locke explica a Charlie sobre a luta que a mariposa precisa realizar para se fortalecer e sair de seu casulo. Leo é capaz de conduzir a história sem soar apelativo, seja com os efeitos da fama ou da abstinência. O fato de ser um artista renomado o permite desmistificar os bastidores da fama e, por isso, as personagens serem uma dupla de artistas favorece em muito a construção de alguns dos conflitos.
          São vinte e oito capítulos que podem ser encarados como um álbum duplo. Sem spoilers: para aqueles que já ouviram o álbum Na Luz do Som o livro conserva uma bela surpresa. Então, vocês se perguntam: qual a razão do post se chamar Amor Infinito? Em determinado ponto da o título é mencionado como uma das canções de Bruce Vilanova. Lia no ônibus e experimentei cantar uma visão desse sentimento. Quase instantaneamente os primeiros versos surgiram com o que viria a ser o refrão. Mesmo desafinando, esse foi o resultado que alcancei, dá para ter uma ideia:
Amor Infinito (2017)

Vejo seu rosto nas fotos
Um riso que poderia ser nosso
Ah! Se eu tivesse uma chance
De escrever nosso romance
Te mostraria, o futuro
Feito dos sonhos feitos a dois
Te apoiaria em tudo
Sei é tão fácil falar

O sol em nosso anelar, é tão bonito
Enlaçamos mãos temos um lar
E o amor é infinito
Pressinto um beijo doce de se flutuar
Nada é capaz de segurar
Um Amor Infinito

Assim será nosso mundo
Pelos caminhos o petricor
E em cada gota de chuva
Um arco-íris de dou

O sol em nosso anelar, é tão bonito
Enlaçamos mãos temos um lar
E o amor é infinito
Pressinto um beijo doce de se flutuar
Nada é capaz de segurar
Um Amor Infinito

         ALERTA DE SPOILERS!: Num momento terno do livro, Leo mostra a letra de música. Não pude deixar de pensar que, sendo a ansiedade o mal do século, eu fora acometido por ela. Tivesse eu aguardado algumas dezenas de páginas teria conhecido a verdadeira Amor Infinito. Que reproduzo aqui:

Amor Infinito
(Composição de Bruce Vilanova presente em No Colo dos Anjos, de Leo Chaves)

Lobos internos me devoram
Mastigando sonhos, fome de amor!
No escuro, caminhando sem chão
Um caminho pra dois corações!

E nessa estrada bem distante
Se arrastam minhas emoções!
Não aprenderam a dizer não!
O amor vem na mesma direção!
Uma nova jornada adiante!
Eu não me refiro a ilusões!
A luta é por você e com você!
Pra então o dia nascer bonito
Num toque de mágica,
Num amor infinito!
Amor Infinito

Me agarro apenas em sonhos!
Seria real em nosso mundo?
Eu não deixaria você partir!
Minha felicidade iria junto!

E nessa estrada bem distante
Se arrastam minhas emoções!
Não aprenderam a dizer não!
O amor vem na mesma direção!
Uma nova jornada adiante!
Eu não me refiro a ilusões!
A luta é por você e com você!
Pra então o dia nascer bonito
Num toque de mágica,
Num amor infinito!
Amor Infinito

       Ainda assim, por já ter composto minha própria versão. Fiquei contente com as palavras de Martin Blumer na p.124. Quantos livros inspiradores vocês leram neste ano? Há várias portas para reflexão nas páginas do livro de Leo Chaves. Tenho a impressão de que o revisitarei esses personagens de tempos em tempos.
"- Bruce, já sei que você escuta, na maioria das vezes, canções ligadas a seu gênero musical. Entendo que existe um mercado, já vivi tudo isso, mas comece a experimentar de outras nascentes e veja se elas, de alguma forma, poderão acrescentar algo a seu universo artístico. Eu acredito que sim, pois aqui tem muita essência. É importante conhecer as raízes de outros estilos. Sua música pode ficar extremamente rica e ganhar ainda mais identidade."

Nenhum comentário:

Postar um comentário